domingo, 20 de dezembro de 2009

Dedicado á minha saudosa amiga Elise.


"Aqueles que passam por nós,
não vão sós,não nos deixam sós.
Daixam um pouco de si, levando um pouco de nós

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Prova de ingresso



Como é possível que continuem a ser contra uma prova de ingresso... Se a fazem nos cursos de Engenharia, Direito, etc., e em tudo na vida, quanto mais não seja numa entrevista para emprego, porque não fazê-lo para os professores!? Que arrogância acharem que o curso que tiram é mais do que suficiente para provarem a competência. Seguido de um estágio que não passa de um trabalho de grupo, onde nunca ninguém reprova e têm uma ou duas aulas assistidas pelo professor orientador. A mensagem que passam é que qualquer aluno fraco, com média de 10, pode ser professor, sem necessitar de prestar mais provas. Uma prova de ingresso seria o melhor meio de filtragem para acesso à carreira. Não queremos alunos de 10 a darem aulas , já basta os que lá entraram e nunca mais saem....

sábado, 14 de novembro de 2009

A Minha familia...




Foi esta a fortuna que os meus pais nos deixaram de herança.
Uma Grande "FAMÍLIA"
Linda, educada, trabalhadora e unida.
Quem tem uma família assim! Só tem motivos para se sentir feliz.
É nisto que eu me sinto superior, áqueles que me rejeitam.O problema deles é nunca conseguir ter um tesouro assim.
Não existe dinheiro no mundo, que compre tamanha união.
Uma questão de sangue...

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O Saramago...


Está a fazer um Markting sujo e baixo.Um velho senil, que se acha no direito de dizer o que quer.Se não estivesse senil, percebia que nós ainda não esquecemos o passado dele, e as atrocidades que fez...Para vender o livro, não vale tudo Ó Senhor Saramago.
Quando se apanhou com poder num Órgão de Comunicação Social, após o 25 de Abril, o Sr. Saramago, condenou, julgou, perseguiu, saneou, destrui e tranformou a vida de muita gente num verdadeiro "inferno". Ele condenou, e de que maneira! Deve ter tido muita pena de não ter podido recorrer a alguns métodos da "Santa Inquisição" que tão bem serviriam os seus propósitos! Não me interessa nada o que o sr.Nobel pensa da Bíblia, do Papa e das Religiões, mas que o sr. é obececado pelo assunto, lá isso é! Porque será? Porque será que escreve livros e fala tanto sobre um assunto que ele critica, condena, ridiculariza e despreza? Precisa de ir "beber" à BÍblia " a sabedoria que lhe falta" para escrever livros sobre a liberdade? Volto a perguntar, porque será? Será a Condenação? Será o Pecado? Ou será talvez o Perdão que ele persegue e o persegue ao longo da sua longa vida?Porque escolhe Saramago a Bíblia? Uma interrogação, que eu gostava de ouvir da boca dele, mas tendo como interlucutor, um estudioso da Bíblia, confesso que não perdia esse debate!Adorava ouvir as respostas do saramago...
Maria da Graça

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O Jogo...

Ela sai do dicionário
buscando os sentidos
Com o olhar em fúria
acaricia as sílabas
O verbo mantém a ordem.
Triste, o adjectivo chora.
É tudo um jogo:
As cartas marcadas
o limite das palavras
a poesia do tempo
a ilusão que consola
a letra que sobrevive
ao ponto final.
As marcas da vida
são pedaços de sonhos
limitados por vírgulas.

Graça Ribeiro

sábado, 3 de outubro de 2009

Nunca digas...


Nunca digas que:
Esqueceste um amor,
Diz apenas que!
Consegues falar nele
Sem chorar
Porque o amor é...
Inesquecivel!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Estranho...





Estranha é a sensação do Adeus,invadida por muita dor; Pomos á prova a dimensão dos nossos sentimentos, só ai vemos o quanto a falta que alguém nos faz...
Gostava que o Teu amor fosse como o meu! Mas...No fundo, apenas gostava que gostasses de mim e que me deixasses gostar de Ti...!

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Lágrimas ocultas...




Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

Florbela Espanca

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Antes de nos cruzar...


Muito antes da vida ser
percepções cósmicas cruzavam
ares e mares submersos

Escuras cavernas
úmidas de sombras
faziam tremer as bases

O medo impedia a libertação.
Na garganta o profundo
silêncio do tempo

O caos interior
embaralhava as letras
e o verbo se perdia
no coração das palavras

Explodiu o Big-Bang
e suaves pensamentos
libertaram voz e luz
Autora: Graça Ribeiro

sábado, 8 de agosto de 2009

São pedaços...


O verbo mantém a ordem.
Triste, o adjetivo chora.
É tudo um jogo:
As cartas marcadas
o limite das palavras
a poesia do tempo
a ilusão que consola
a letra que sobrevive
ao ponto final.
As marcas da vida
são pedaços de sonhos
limitados por vírgulas.
Por:Graça Ribeiro

domingo, 26 de julho de 2009

Suave - Graça Ribeiro



A Kika sempre linda


Nas asas do tempo sobrevôo versos
E percebo que já não sou o que fui
Deixei para trás a tristeza que fazia
um ninho envolto em letras soltas
Havia poesia mas o sentimento
amarrava as sílabas e chorava
Hoje meu vôo é suave
Escuto a cantoria das folhas
lambendo as gotas de orvalho
percebo a suavidade da lua
tocando a luz das estrelas
Sei que já não sou o que fui
fui tanta gente!
Sei que não sei o que serei
ainda penso e quero ser tanto!
Hoje meu vôo é suave
o destino incerto
e a vida
leve

Graça Ribeiro

sábado, 4 de julho de 2009

SE...


Se o amor for grande... a espera não será eterna, os problemas não serão dilemas, e a distância será vencida.
Se a compreensão insistir, as brigas fortalecemo-nos, os factos farão nos rir, e os diálogos marcaram-nos.
Se o respeito prevalecer, os carinhos serão doces e suaves, os beijos profundos e cheios de valor, e os abraços calorosos e confortantes.
Se a confiança existir, a dúvida se extinguirá, as perguntas serão respondidas, e as palavras poderão ser ditas.
Talvez não seja um amor eterno.
E não é um amor doentio, Nem um amor ideal.
Mas um amor verdadeiro.
Aquele que vence as barreiras Impostas pela vida e pelas ocasiões.
Aquele que não teme a escolha, E faz a opção de simplesmente Ser intensamente vivido.

domingo, 31 de maio de 2009

Nos dias que penso com o coração...


Nunca mais me quero esquecer: Que quem ama, não vê defeitos...Quem odeia não vê qualidades...E quem é amigo, vê as duas Coisas ...
Assim embalada pelo pensamento,acabei por adormecer e sonhar!Foi um sonho sem tempo...Do qual! Não foi muito bom ter de acordar...

domingo, 24 de maio de 2009

Que é verdade! Eu não dúvido...

Só existem dois tipos de homens: os íntegros que se consideram pecadores e os pecadores que se consideram íntegros




Blaise Pascal

sábado, 16 de maio de 2009

Uma verdade




A glória da amizade não é a mão estendida,
nem o sorriso carinhoso,
nem mesmo a delicia da companhia.

É sim:

A inspiração espiritual, que vem quando
descobres que alguém
acredita e confia em ti.”

domingo, 10 de maio de 2009

Mais um poema lindo...


Quero esquecer que existes
E não consigo
Quero esquecer tuas palavras
E não consigo
Quero esquecer nossos momentos
E não consigo
Quero esquecer que te quero
E não consigo
Porquê?
Porque…porque não consigo

Estás-me permanentemente no pensamento
Vives eternamente no meu coração
O que será que falhou
P’ra esta afrontosa desilusão?

És a fantasia do meu desejo
És a saudade que dói
És um sonho que sinto fugir
Porquê?
Porquê?

Porquê, esta dor que não cala
Porquê, este silencio que fala
Porquê?
obs: este poema nada tem a ver comigo, não estou apaixonada, não sinto nada do que está aqui escrito...Este poema é mera fantasia.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Quero porque quero! Se não, sei que vou morrer...


Quem matou a minha alegria…Quem destruiu o meu coração…quem me fez despertar, para uma vida, cruel dura e fria…Não, não quero viver assim! Eu, quero voltar a ser "eu". Preciso de voltar a sonhar, preciso de voltar a sorrir , preciso de voltar a cantar, preciso de voltar a ver o lado bonito da vida, este lado feio que me mostraram não! Não quero.Preciso de perceber, que quem não sorri morre de solidão.Estou cansada, de me sentir culpada,de um pecado que não fiz...
Quero voltar a viver, quero esquecer os pedregulhos que colocaram no meu caminho, quero esquecer os lameiros que colocaram á minha volta. Quero voltar a ver rosas, quero voltar a sonhar e voltar a acreditar.
Não sou Santa nem demónio, sou apenas um ser humano que já sonhou!Quero voltar a acreditar, que no mundo existe gente boa e gente má. Quero acreditar de novo em mim, quero viver sem raivas, quero apenas poder voltar a sorrir.
Sei que vou conseguir,sei que vou…

sábado, 25 de abril de 2009

Apreendendo e testando, o que aprendemos...A minha Primeira Palestra.


Mais ou menos segura da minha tese...

Nunca é tarde para compreender que tudo o que fizemos, foi feito de forma errada. Não adianta assumir que erramos! O importante é conseguir mudar as nossas atitudes...
Experiência é o nome que todos damos aos nossos erros

domingo, 29 de março de 2009

Lágrimas da Terra.


Terra, trabalhada pelos Deuses,
Desenhada, esculpida por estas mãos...
Paraíso envenenado pelo pecado,
Castigado castrado pela fúria destas gentes!
Ventos que sopram sobre os mares,
Anunciando oceanos revoltados
E rios que choram... a ignorância dos humanos!
Correntes de tempestade, geram desgraça
Levam o suor do homem
E tanto trabalho desaparece...
E tu água, ainda cais abundande, límpida,
Vinda daquele monte...
Em breve, tornar-te-ás escassa
No nosso triste horizonte!
Seca de sonhos, seca de vontades
Assim, estarás...
E a lua...testemunha este teu triste fado,
Cantigas de embalar em teu doce trautear...
Estendo o braço e não te consigo tocar
Mas a tua luz,sim, a tua luz
Essa vai iluminar!

obs: Proibida a colagem.

Mais um poema da nossa autoria os "Gansos"
nome dado ao nosso grupo.
EFA 1/8, faz parte do Sarau de poesia
foi por nós declamado no auditório
da escola de formação Profissional do Mazagão.
Em 26 de Março.

domingo, 8 de março de 2009

O Silêncio..





Talvez...
Se eu quizesse, mudaria
E que tristeza a minha!
Talvez me vivessem sem eu cá estar,
Mas, adorei muito...
Portanto, vou fazer melhor
Para encontar a paz,
E quem sabe se vou acabar...
Se eu quizesse, mas não posso
Ferir a alma do meu amor,
Talvez um dia, quem sabe
E o impossível aconteça!
Mas o que seria da vida?
Não te quero magoar,
Serei tua parceira para sempre...
Um dia morrerei
Um dia serei mais feliz,
E agora que tudo terminou,
Tenho aquilo que o vento não levou!
Se eu fosse...
Mas deixasse todas as marcas,
Valeria a pena recordarem-me!
Quem sabe aonde pára,
E nasceria outra vez!
Talvez eu saiba quem tu és
Talvez eu me encontre a teus pés
Talvez viva para sempre,
Talvez o mundo sorria,
Talvez um dia, diga obrigado,
Talvez aprenda coisas melhores,
Talvez peque, talvez me arrependa
E quando chegar, será tarde...
Pois seria asssim, se fosse possível,
Se fosse possível assim seria...
Mas que duro vai ser
Eles viverem
E eu não ver...
E Sabe,
Se eu podesse renascer
Diferente haveria de ser
Sabe, enfim,
Se eu acreditasse, falava
Mas o silêncio
Suporta as verdades não ditas...
Porém, eu não estaria assim
Porém, continuarei a lutar!

Escrito na formação do Mazagão

sábado, 31 de janeiro de 2009

O casamento oficial, sim ou não!


Que sentido tem uma cerimónia exterior que não acrescenta nada ao nosso amor? Queremos um amor genuíno! Queremos um amor livre! Queremos um amor sem nenhum tipo de castração! Este modo de actuar parece-nos muito mais sincero. Não necessitamos de nenhum tipo de ataduras. Ataduras que cortam as asas da liberdade. Todo o raciocínio parece lógico. Não há fissuras nesta argumentação.

À primeira vista, o casamento significa uma perda de liberdade. Se uma pessoa decide casar-se, perde a capacidade de voltar a fazê-lo no futuro. Se a liberdade se entender somente como capacidade de escolha, sem dúvida que o casamento significa a perda dessa capacidade. Mas será que a liberdade é somente isso?

Hoje em dia, o casamento é uma realidade oficial, formal e sem muito valor. Um convencionalismo antiquado. Uma instituição que “acorrenta” com elementos objectivos e escravizantes uma relação subjectiva e livre. A liberdade fica “atada”. A liberdade fica “obrigada” no futuro. Não parece sensato introduzir elementos “coactivos” numa relação livre. Introduzir elementos objectivos numa relação subjectiva.

É uma visão simplista. Assim como a noz não é somente a casca, o casamento não é somente a sua cerimónia exterior. O casamento é um vínculo que se cria a partir da livre vontade daqueles que se casam. O “sim” que pronunciam transforma-os. É um “sim” que compromete, duas pessoas.Mas esse sim, passou a ser uma metáfora sendo que, mesmo que para uma das partes, o sim seja para todo o sempre,se outra das partes entender que quer terminar o vinculo! Tudo está facilitado, é só uma questão de assinaturas, para casar precisam de duas pessoas, para acabar com o casamento basta uma. Se assim é para quê casar?...

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Mais uma proposta da Bétinha!


A fotografia? A da minha Kika minha adorada gata.

Uma banda? U2.

1 - Homem ou mulher? Os dois
2 - Descreve-te: Depende de quem estiver pela frente.
3 - O que pensam de mim? Tou-me nas tintas.
4 - Como descreves o teu último relacionamento? Quem dorme, com cães acorda com pulgas.
5 - Descreve o estado actual da tua relação: Antes só que mal acompanhada.
6 - Onde querias estar agora? Aqui! onde estou neste momento.
7 - O que pensas do amor? Uma treta de poetas.
8 - Como é a tua vida? É uma vida.
9 - O que pedirias se pudesses ter só um desejo? Que me deixassem em paz.
10 - Escreve uma frase sábia.Só soube que estava no chão,porque vi os "amigos" fugir!

domingo, 18 de janeiro de 2009



Eu e a minha formadora de Inglês

As coisas que não conseguimos recolher depois de lançar:
A pedra atirada,
A palavra dita,
A ocasião perdida
O tempo passado.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Está assim o meu País...




Portugal é uma região empobrecida da Península Ibérica, que por sua vez é uma região periférica de um continente em decadência. A adesão à Comunidade Económica Europeia eliminou barreiras ao fluxo de capitais entre Portugal e o centro da Europa. A eliminação de barreiras entre o centro e a periferia tem dois efeitos contraditórios. Por um lado, algumas actividades económicas tenderão a concentrar-se no centro para aproveitar ganhos de escala. Por este motivo, muitas empresas estrangeiras deslocaram os seus centros de distribuição de Lisboa para Madrid ou para o Norte da Europa. Por outro lado, outras actividades económicas tenderão a deslocar-se para a periferia para aproveitar os baixos custos de produção. Por este motivo, várias empresas alemãs optaram por se instalar em Portugal. Idealmente, os factores que favorecem a transferência de capital do centro para a periferia devem superar os factores que favorecem a concentração de actividades no centro. Mas os últimos oito anos de estagnação económica sugerem que algo correu muito mal na forma como Portugal se integrou na União Europeia. Os políticos portugueses não perceberam que um país periférico não pode impor às empresas custos de produção típicos do centro da Europa. Os custos da periferia têm de ser compensados por custos de produção mais baixos. Os políticos portugueses acabaram por cometer dois erros que prejudicaram gravemente o País. Por um lado, optaram por modernizar o País através da despesa pública. Tiveram por isso de aumentar a carga fiscal, o que acabou por reduzir a capacidade do País para atrair investimento estrangeiro. Por outro lado, optaram por constituir, de forma artificial, grupos económicos nacionais aos quais atribuíram o controlo de grande parte do sector dos bens não transaccionáveis. As privatizações, que podiam ter servido para atrair capital estrangeiro para o País, acabaram por gerar promiscuidade entre políticos e empresários e por encarecer os custos de produção em território nacional.
A formação profissional, de pouco ou nada serviu, neste momento ela serve apenas, para esconder a lacuna do desemprego, quando deveria servir para preparar os trabalhadores para mão de obra qualificada. Quem organiza a formação profissional é o Serviço nacional de Desemprego, é ver como se esconde a estatistica do desemprego, mandando para lá todos os desempregados.

sábado, 3 de janeiro de 2009

Votos de um bom 2009


Em: O meu primeiro Natal Sozinha, livre de amarras!

Ano Novo, vida nova e, para começarmos bem, para construirmos 2009 da melhor maneira, aqui vai um conselho de Bento XVI: constrói sobre a areia quem constrói sobre coisas visíveis, sobre o sucesso, a carreira e o dinheiro.

Aparentemente, são estas as verdadeiras realidades. Mas tudo isto acabará um dia. Vemo-lo, agora, com queda dos bancos: o dinheiro desaparece, é nada.

Quem constrói a sua vida sobre estas realidades constrói sobre a areia. Pelo contrário, quem constrói a sua vida sobre a Palavra de Deus é realista porque a Palavra de Deus é o fundamento de tudo e permanece. É estável como o céu e mais ainda que o céu: é a realidade.

Sejamos, pois, realistas.

Feliz 2009!

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009