sexta-feira, 16 de setembro de 2005

Batota, batota, batota... por todo o lado



Setembro marca o regresso da política. Aqui ficam algumas reflexões e exemplos de batota, como só os políticos a sabem fazer.

Referendo ao aborto

Na ânsia de criar uma “frente do povo da esquerda” e desviar a atenção do previsível duro orçamento de estado, o PS prepara-se, sem nenhum estado de alma, para criar um aborto: uma legislatura de 4 sessões legislativas e meia. Porquê? Porque se fosse aplicado o entendimento que sempre esteve presente desde o início dos em relação à duração e início das sessões legislativas, o PS não poderia aprovar a realização do referendo, uma vez que o projecto de lei anterior foi chumbado por Jorge Sampaio e, portanto, só poderia ser de novo apresentado em nova sessão legislativa. Assim, o PS apresta-se para declarar que a 15 de Setembro se iniciou uma nova sessão legislativa, o que fará com que no final da legislatura tenham ocorrido 4 sessões e meia... É um recorde do Guiness... mas é uma grande batota!!! Só não percebo como os ilustres deputados não percebem que toda a gente percebe que isto é um truquezinho de república das bananas... mas enfim, há muita coisa que eles já não percebem há muito!

Para ganhar o jogo ... nomeia-se o árbitro

O Tribunal de Contas é a instituição da República que zela pelo cumprimento das normas legais em termos de gastos do dinheiro público. Em época de restrições e eleições autárquicas, o papel disciplinador do tribunal é de fundamental importância. Podemos recordar as famosas “forças de bloqueio”, para ver que ter alguém que dê garantias de independência no Tribunal de Contas é de enorme importância. Pois quem escolheu o PS para presidir ao tribunal: um deputado do partido, ex-ministro do mesmo partido, e porta-voz... do Partido. Tá-se mesmo a ver a independência do dito, não está... Como dizia o outro... É já a seguir, a dita independência... Batota e mais batota!

E um batoteiro de há muito...

Ferreira Torres é um dos mais curiosos personagens da política portuguesa. “Dono” do Marco, do clube de futebol do Marco, dono de muitas das terras do concelho do Marco, compradas por um assumido testa de ferro, presta-se para uma batota adicional (que comparada com o currículo que se tem vindo a divulgar, parece até coisa pouca). Apesar de se tratar da mesma lista em termos de publicidade e associação política, desdobrou as listas de candidatura à Câmara e à Assembleia Municipal em duas, de modo a poder gastar o dobro do orçamento. Mais batota!!!
Se vivesse em Amarante estaria preocupada: para investir tanto dinheiro, desconfio que dentro em breve, se ganhar, Ferreira Torres será dono de uma boa parte das terras de Amarante...

E pronto, com a admiração no rosto estampada pela audácia de tais batoteiros, despeço-me de todos vós, desejando a todos (batoteiros excluídos) um bom fim de semana.

1 comentário:

Obrigado