segunda-feira, 8 de agosto de 2005

Usando uma grande poetisa para falar dos meus terrores



Minha culpa

Sei lá! Sei lá! Eu sei lá bem
Quem sou? Um fogo-fátuo, uma miragem...
Sou um reflexo... um canto de paisagem
Ou apenas cenário! Um vaivém

Como a sorte: hoje aqui, depois além!
Sei lá quem sou? Sei lá! Sou a roupagem
De um doido que partiu numa romagem
E nunca mais voltou! Eu sei lá quem!...

Sou um verme que um dia quis ser astro...
Uma estátua truncada de alabastro..
Uma chaga sangrenta do Senhor...

Sei lá quem sou?! Sei lá! Cumprindo os fados,
Num mundo de maldades e pecados,
Sou mais um mau, sou mais um pecador...

Florbela Espanca

8 comentários:

  1. querida amiga, tudo se compõe.

    bom dia, forte abraço

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, querida Elisemas sabes que me faltam coisas que eu n/ sei fazer.Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Como seja por a cor na página dos comentá´rios
    e assim como eu tinha a minha um simbolo do crepúsculo que também n/ sei comocar.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. logo à noite, pergunto ao marido. eu não sei mesmo.

    a não ser que queiras instalar o haloscan, o sistema de comentários que tinhas.

    ResponderEliminar
  5. eu posso tentar instalar o haloscan.

    queres? a formatação (fundo preto) fica para depois.

    ResponderEliminar
  6. uma trancada e passavam-te os terrores noturnos gracinha

    ResponderEliminar

Obrigado